10 de abr de 2012

O VALOR DE UMA MÃE... MUITO ESPECIAL!


Não deixe de ler até o final, você vai gostar muito!
Um jovem de nível acadêmico excelente, candidatou-se à posição de gerente de uma grande empresa. Passou a primeira entrevista e o diretor fez a última entrevista, tomando a última decisão. O diretor descobriu através de um dos currículos,  que as realizações acadêmicas do jovem eram excelentes em todo o percurso, desde o secundário até à pesquisa da pós-graduação e não havia um ano em que não tivesse pontuado com nota máxima.
O diretor então lhe perguntou:  "Tiveste alguma bolsa na escola?"
O jovem respondeu:  "Nenhuma".
O diretor perguntou mais uma vez:  "Foi o teu pai que pagou as tuas mensalidades ?"
O jovem respondeu:  "O meu pai faleceu quando tinha apenas um ano, foi a minha mãe quem pagou as minhas mensalidades."
O diretor novamente indagou: "Onde trabalha a tua mãe?" E o jovem respondeu: "A minha mãe lava roupa."
O diretor pediu que o jovem lhe mostrasse as suas mãos. O jovem mostrou um par de mãos macias e perfeitas. 
O diretor fez sua última pergunta: "Alguma vez ajudaste a tua mãe a lavar as roupas?"
O jovem respondeu: "Nunca, a minha mãe sempre quis que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, a minha mãe lava a roupa mais depressa do que eu."
O diretor disse:  "Eu tenho um pedido.  Hoje, quando voltares, vai e limpa as mãos da tua mãe, e depois venha me ver amanhã de manhã."
O jovem percebeu que a hipótese de obter o emprego era alta. Quando chegou a casa, pediu feliz à mãe que o deixasse limpar as suas mãos. A mãe achou estranho, estava feliz, mas, sem entender nada mostrou as suas mãos ao filho. O jovem limpou lentamente as mãos da mãe. Uma lágrima escorreu-lhe enquanto o fazia. Era a primeira vez que reparava que as mãos de sua mãe estavam muito enrugadas, e havia demasiadas contusões nelas. Algumas eram tão dolorosas que a mãe se queixava quando ele as limpava com água...

Foi então que  o jovem finalmente percebeu que o par de mãos que lavavam roupa todo o dia, tinham-lhe pago as mensalidades. As contusões nas mãos da mãe eram o preço a pagar pela sua graduação, excelência acadêmica e o seu futuro.

Após, acabar de limpar as mãos da mãe, o jovem silenciosamente lavou as restantes roupas pela sua mãe.
Nessa noite, mãe e filho falaram por um longo tempo... Na manhã seguinte, o jovem foi ao gabinete do diretor.
O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do jovem e perguntou:"Diz-me, o que fizeste e aprendeste ontem em tua casa?"
O jovem respondeu: "Eu limpei as mãos da minha mãe, e ainda acabei de lavar as roupas que sobraram."
O diretor pediu: "Por favor, me diga o que percebeu..."
O jovem disse:

*Primeiro- Agora sei o que é dar valor. Sem a minha mãe, não haveria chegado até aqui. 
  
*Segundo- Ao trabalhar e ajudar a minha mãe, foi que fui perceber a dificuldade e dureza que é ter algo pronto.
*Terceiro- Hoje sei e aprecio a importância e valor de uma relação familiar."
O diretor disse-lhe:  "Isto é o que eu procuro para um gerente. Eu quero recrutar alguém que saiba apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conheça o esforço e muitas vezes, o sacrifício dos outros para terem as coisas feitas, e uma pessoa que não coloque o dinheiro como o seu único objetivo na vida. Estás contratado!"
Mais tarde, este jovem trabalhou árduamente e recebeu o respeito dos seus subordinados. Todos os empregados trabalhavam diligentemente e como uma equipe. O desempenho da empresa melhorou tremendamente.
Uma criança que foi protegida e teve habitualmente tudo o que quis, vai desenvolver- se mentalmente e vai sempre colocar-se em primeiro. Vai ignorar os esforços dos seus pais, e quando começar a trabalhar, e quando ocupar um lugar de destaque, nunca vai saber reconhecer o valor e empenho de outras pessoas. 
Para este tipo de pessoa, que podem  até ser boas acadêmicamente, podem também, ser bem sucedidas, porém,  eventualmente não vão se realizar no que fazem. Nada lhes será o bastante. Vão resmungar, estar cheios de ciúmes, inveja, ódio, e sempre querer mais e mais... Se somos esse tipo de mãe, que faz tudo pelos filhos sem lhes ensinar a gratidão, estamos realmente demonstrando o amor ou estamos  destruíndo o nosso filho(a)?

Dar o melhor para os filhos é o nosso desejo, mas ensiná-los a reconhecer o bem que recebe é o nosso dever. Deixar o filho(a) viver numa grande casa, comer boas refeições, aprender piano, ter acesso ao melhor da tecnologia, não tem problema, desde que este possa saber a reconhecer o benefício recebido pelos pais.
Deixe seu filho(a) experimentar isso. Depois da refeição, deixe-o lavar o seu prato juntamente com os seus irmãos e irmãs. Isto, não é porque não tem dinheiro para contratar uma ajudante, mas porque,  está amando-o  como deve de ser. Quer que ele entenda que não interessa o quão prósperos sejam os seus pais, um dia ele vai envelhecer, tal como a mãe daquele jovem.
A coisa mais importante que os filhos devem entender, é a apreciar o esforço e experiência da dificuldade, a aprendizagem da habilidade  de trabalhar com os outros para fazer as coisas.
Quem são as pessoas que ficaram com mãos enrugadas por mim?
Marcas que se acham facilmente nas mãos de uma mãe...

Um dos mais bonitos textos sobre educação familiar que já li. Leitura obrigatória para nós Mães e, principalmente, para os Filhos.

Colaboração de Carina Sparrenberger.

8 comentários:

BETE disse...

Muito forte! Eu tenho procurado ensinar esses ensinamentos, mesmo que eu possa dar eu faço ele esperar a hora certa de receber o que ele me pediu. Ele ora, faz os sacrifícios dele e aquando eu dou ele falou isso é resultado da minha fidelidade. E fico Feliz dele reconhecer que e Deus que o abençoa.

Maria Isabel disse...

Maravilhoso, eu amo muito a minha mãe e mesmo com 47 anos a chamo de senhora e quando fico rispida por algum motivo logo volto atráz até porque assim como amo e respeito muito que tem 70 anos e ainda trabalha de faxineira em 3 prédios 4 escadas eu ensino o meu filho de a dar valor a tudo e em tudo e ensinar e ter a certeza que quando ele for maduro também saber me respeitar e que todas as lutas que passo por ele com Deus ele valorize, mensagem muito linda, obrigada.

Salviano Adão disse...

Olá queridas, meu nome é Salviano Adão do blog; A única verdade em sua própria bíblia. O motivo do meu contato é porque gostaria de fazer uma parceria em nome de Jesus. Já postei o blog das queridas em minha lista de blog, passa lá depois para dar uma conferida, e gostaria que vocês também postasse o meu blog em seus blogs parceiros, a lista que vocês recomendam, mas essa parceria é só se quiser.
Que Deus abençoe e aguardo o seu contato.

Sabrina Sberse disse...

Muito forte. vou repassar!!! Que valorizemos o trabalho das mães ao nosso redor e lhe presenteemos diariamente com o maior dos presentes: a oração!

Renata Castellar disse...

Que historia linda,hoje tenho uma filha adolescente e posso entender claramente o que minha linda mae passava,pude aproveitar de todos o seus ensinamentos!!!!preservo a maior heranca que ela me ensinou a amar profundamente,meu amado Senhor Jesus!!!!E o que tenhofeit com minha filha amada,nao quero gloria,quero poder disfrutar com ela sempre dessa alegria e privilegio de ser uma familia de Deus!!!

Cristina Araujo disse...

È muito forte mesmo essa mensagem,me fez voltar a 28 anos atras, hoje tenho 33 anos e me lembro sentada na escada da porta da cozinha olhando minha mãezinha até tarde da noite as vezes no frio, chovendo lavando roupas pra fora naqueles tanque duro de cimento que ralavam tudo seus dedos para ajudar meu pai no sustento da casa e dar o melhor a mim e meus dois irmãos, também o que mais queriam era que estudássemos e fossemos alguém na vida, mas sempre nos ensinou a dar valor a tudo, cada um era responsável por lavar uma louça e eu como unica menina ainda tinha que arrumar a casa, hoje tenho uma filhinha de dois anos,me esforço o máximo para não mimá-la e dar tudo o que quer, pois, quero ensiná-la como fui ensinada a dar valor as suas conquistas, família, ter e dar respeito e andar nos caminhos do Senhor Jesus.

Unknown disse...

muito forte esse texto!

Marlene de Jesus Pereira disse...

muito forte esse texto!