18 de jan de 2012

BISCOITINHOS...



Certo dia, uma moça estava a espera de seu vôo na sala de embarque de um aeroporto. Como ela deveria esperar por muitas horas resolveu comprar um livro para matar o tempo. Também comprou um pacote de biscoitos.

Ela achou uma poltrona numa parte reservada do aeroporto para que pudesse descansar em paz. Ao lado dela se sentou um homem. Quando ela pegou o primeiro biscoito, o homem também pegou um. 
Ela ficou indignada, mas não disse nada. Ela pensou "Mas que cara de pau. Se eu estivesse mais disposta, lhe daria um soco que ele nunca ia esquecer".

A cada biscoito que ela pegava, o homem também pegava um. Aquilo a deixava tão indignada que ela não conseguia reagir. Restava apenas um biscoito e ela pensou: "O que será que o abusado vai fazer agora?" 

Então, o homem dividiu o biscoito ao meio, deixando a outra metade para ela. Aquilo a deixou irada e bufando de raiva. Ela pegou o seu livro e suas coisas e dirigiu-se ao embarque. Quando sentou confortávelmente em seu assento, para surpresa dela o seu pacote de biscoito estava ainda intacto, dentro de sua bolsa. 

Ela sentiu muita vergonha, pois quem estava errada era ela, e já não havia mais tempo para pedir desculpas. O homem dividiu os seus biscoitos sem se sentir incomodado, ao contrário dela, que se sentiu muito transtornada.

A  individualidade excessiva e a falta de comunicação roubaram desta moça o privilégio de vivenciar um momento de "generosidade".

Como mães, algumas  vezes,  por acreditar que estamos com a razão, agimos sem pensar, sem olhar em volta e identificar o que de fato está acontecendo.

Não estamos livres de errar, de ser injustas e acabarmos agindo por impulso,  ferindo, magoando os nossos filhos.

Nossa luta e correria do dia a dia, ás  vezes podem fazer com que nossas atitudes se tornem frias, com que deixemos momentos importantes passarem desapercebidos, e quando queremos consertar, pode ser tarde demais.

Perceber o que nossos filhos querem nos dizer,  entender,  e aceitar que eles estão com a razão, que precisam ser compreendidos, não fará com que nossa autoridade sobre eles seja menor ou maior e sim, que vejam que  todos nós sempre temos o que aprender uns com os outros. 

Assim como Deus nos usa para abençoar nossos filhos, Ele  também pode usá-los  para nos abençoar.

Esteja atenta ao que está acontecendo a sua volta. Entenda como de fato tem agido com sua família.

Não permita que a individualidade esteja presente em seu lar, pois em uma família,  um precisa do outro, e nem sempre teremos razão, e é importante reconhecermos isso  a tempo de nos consertarmos, agradecermos, pedirmos  desculpas, enquanto há tempo para recomeçar.

Que Deus nos ilumine e nos ajude a cada dia em nosso compromisso de amor e compreensão para com nossa família, e filhos.

Orando sempre.

Marilene Cardozo

Um comentário:

Anônimo disse...

É a mais pura realidade, já aconteceu comigo e acontece, de vez em quando, preciso ser mais atenciosa. Obrigada. Mônica